6.21
O Último Brilho no Crepúsculo

O Último Brilho no Crepúsculo

Título original
Twilight's Last Gleaming
Ano
1977
Gênero
Thriller
Diretor
Robert Aldrich
País
Estados Unidos , Alemanha
Detalhes
146 minutos / colorido / som

Marcado por suas experiências como prisioneiro de guerra no Vietnã, o general Lawrence Dell (Burt Lancaster) sempre se mostrou contra o conflito no sudoeste asiático. Quando Dell se envolveu num homicídio culposo, o exército "armou" e fez com que ele pegasse 30 anos por homicídio doloso, o que na prática seria uma prisão perpétua, assim ficariam livres dele. Mas, em 16 de novembro de 1981, Dell foge junto com mais três companheiros. Eles acabam detendo os seguranças que iam para o "Silo 3", onde estão nove mísseis cheios de ogivas nucleares. Usando a identidade deles, Dell e seus camaradas assumem o controle da sala de lançamento. Dell ameaça lançar os mísseis se o presidente David Stevens (Charles Durning) não cumprir algumas exigências, sendo que a mais difícil de ser atendida é que o presidente faça uma declaração em cadeia nacional, dizendo que os americanos foram enganados sobre a guerra do Vietnã e quais são os verdadeiras razões do conflito.

Enviado por CTaxiDriver


As canastrices poderiam ter sido evitadas

Achei um ótimo filme, como quase todos do mestre Robert Aldrich. O roteiro é bem desenvolvido onde a eterna luta do pacifismo contra o militarismo nos remete à história de quase todo século XX principalmente no pós-segunda guerra mundial. É lógico que é uma obra de ficção, apesar de ser rodado em 1977 projetando um futuro próximo (1981). Relevei algumas aberrações históricas justamente por ser ficção, é claro. Os falcões, como são chamados os militares empoderados na Casa Branca, fazem uma colossal pressão sobre os ditames da política externa estadunidense. Nem sempre levam a melhor, mas nesse filme conseguiram o troféu "Canastrice", na pele do general desempenhado por Richard Widmark. No elenco, me chamou a atenção do excelente desempenho de Melvyn Douglas no papel de Secretário da Defesa Zachariah Guthrie. É um bom filme, com uma crítica contundente ao complexo industrial-militar estadunidense e seu uso e abuso no emprego da política externa. É comprido (146 minutos), mas vale a pena ver e, quiçá revê-lo num futuro próximo.

Enviado por  magrao1952