8.04
O Mais Longo dos Dias

O Mais Longo dos Dias

Título original
The Longest Day
Ano
1962
Gênero
Ação , Drama , Guerra , História
Diretor
Ken Annakin , Darryl F. Zanuck , Bernhard Wicki , Andrew Marton
País
Estados Unidos
Detalhes
360 minutos / preto & branco / som

O filme relata o ataque acontecido no dia 6 de junho de 1944, conhecido como o Dia D, que desbancou o domínio nazista na Europa e marcou o início do fim da Segunda Guerra Mundial. A ofensiva, que envolveu mais de três milhões de homens, foi uma das mais ousadas e sangrentas estratégias militares da era moderna. Americanos, britânicos, canadenses, franceses. Milhões de militares, navios, tanques, aviões. As diferentes ofensivas do maior ataque planejado dos últimos tempos. O Mais Longo dos Dias é uma reconstituição vivida, momento a momento, deste evento histórico. Apresentando um elenco de astros internacionais, e narrado do ponto de vista de ambos os lados, é um olhar fascinante que presencia os enormes preparativos, os erros e acontecimentos inesperados que determinaram o resultado de uma das maiores batalhas da História. Vencedor de dois Oscar (Efeitos Especiais e Fotografia), O Mais Longo dos Dias está entre os verdadeiros grandes filmes de guerra de Hollywood

Enviado por pak


Excelente para quem gosta de grandes atores

Enviado por  nelsonbehrend


exelente filme de guerra

Enviado por  vencedor


Algumas comparações

O diretor Ken Annakin fez dois filmes de guerra no espaço de 3 anos: "O Mais Longo dos Dias" em 1962 e "Uma Batalha no Inferno" em 1965, o 1o preto/branco, o 2o colorido e os dois com numeroso e famoso elenco estelar. A comparação mais gritante entre os dois é a qualidade: o 1o se desenrolou de maneira mais amadora, com inúmeros desajustes no andamento da obra, principalmente piadinhas despropositadas, machismo exacerbado e patriotadas totalmente dispensáveis. Já o 2o filme "Uma Batalha no Inferno", parece que o diretor está mais amadurecido com o assunto "filmes de guerra". Ele mantém maior fidelidade com os fatos históricos, evitando invencionices e tomadas rocambolescas. O 2o filme ele tem a direção solitária, já no 1o ele tem a companhia de mais três, e assim, quero crer que ele trabalhe melhor sozinho. Gostei muito de "Batalha....", já o "O Mais Longo..." não me agradou.

Enviado por  magrao1952