9.44
Crepúsculo dos Deuses

Crepúsculo dos Deuses

Título original
Sunset Boulevard
Ano
1950
Gênero
Drama , Filme noir
Diretor
Billy Wilder
País
Estados Unidos
Detalhes
110 minutos / preto & branco / som

O roteirista Joe Gillis está falido. Para se esconder de credores que querem tomar seu carro, estaciona na garagem de uma aparentemente desabitada mansão, onde, na verdade, vive a reclusa Norman Desmond, uma estrela decadente do cinema mudo. Para manter o esconderijo, Gillis aceita reescrever o roteiro que marcará o retorno de Norma às telas.

Enviado por melhoresfilmes


Surpreendente

Estava eu em casa, numa noite de sábado sem nenhuima expectativa de balada; eis que a Globo, num ato samaritano, decidiu passá-lo. Sensacional roteiro e desfecho surpreendente. Vale a pena procurar por ele e boa viagem cinematográfica!

Enviado por  airlan


Maravilhoso! É preciso dizere mais?

Enviado por  velasques


.

Vomitou em toda Hollywood o pior que ela mesma produzia. Excelente.

Enviado por  fraudaum


maravilhoso!!!!!

nesse filme wilder se superou , o filme é perfeito em todos aspectos.filme para ser lembrado eternamente , recomendo para amantes do cinema classico!!!!!!

Enviado por  fabiokubrick


Norma Desmond

e sua megalomania

Enviado por  Cora


Billy Wilder é um mestre!

Sem dúvida, Billy Wilder me surpreende. Quando eu acreditei ter visto cinema no mais alto nível em "Se meu apartamento..." ou "Quanto mais quente", eis que surge essa obra fantástica. É pura metaliguagem, uma verdadeira ode ao cinema. Aqui Wilder lança críticas ferozes contra os bastidores de Hollywood e, com isso, passa a satirizar a arrogância e destruição do próprio ser humano. É fantástica e inesquecível a frase: "Eu sou grande. Os filmes é que ficaram pequenos".

Enviado por  ernane


O MELHOR FILME DO MUNDO

Meu Deus!!!... Falar o quê dessa maravilha. Qualquer comentário pode ser banal diante de um filme como Crepúsculo dos Deuses. Gloria Swanson arrasa na interpretação. Billy Wilder acerta em cheio, principalmente ao mudar o início do filme. A cena final é para ser assistida em posição de reverência... Ai... Acho que acabei por falar banalidades... É isso que dá, comentar obras-primas.

Enviado por  ALBERTO_SOBRINHO