Em um Mundo Melhor

Ano
2010
Titulo original
Hævnen
Titulo em inglês
In a Better World
Gênero
Drama
Diretor
Susanne Bier
País
Dinamarca, Suécia
Detalhes
113 minutos / colorido / som

Sinopse

O médico sem fronteiras, Anton, divide sua vida entre duas realidades muito distintas, na África trabalha em um campo de refugiados, lidando com a miséria e a fragilidade em uma população carente e necessitada, sua família vive em uma cidade na Dinamarca onde o seu filho mais velho, Elias sofre bulling em sua escola, até ser defendido por um aluno recém-chegado, Christian, de quem se torna amigo. Christian vive com o pai e sua avó paterna, chegando recentemente de Londres, onde havia perdido sua mãe e vive a dor dessa perda culpando seu pai por isso, amargurado e solitário solidariza-se com Elias e juntos estabelecem um forte laço de amizade.
Anton encontra-se atualmente separado de Marianne sua mulher, tenta uma reaproximação e em uma de suas folgas do trabalho, passeando com os meninos na cidade, se vê envolvido em uma discussão com um desconhecido que o ofende e o agride na frente das crianças, causando vergonha em seus filhos e inconformismo em Christian que os acompanhava, decide então vingar o pai de seu amigo, dessa agressão, que considera injusta e não se conforma com a atitude de Anton.
Estabelecer um critério moral e não partir para uma ação de retaliação, não respondendo com violência a um ato agressivo foi o critério adotado pelo médico, embora as crianças não tenham aceitado isso e, motivado por Cristhian, optam pela vingança contra o agressor, com riscos de possíveis tragédias e consequências imprevisíveis.
Escolhido como vencedor do Oscar de melhor filme estrangeiro em 2010, esse trabalho da diretora Susanne Bier mostra como uma função paterna exercida com firmeza (embora não isenta de dificuldade por quem a exerce) pode ser decisiva e primordial como postura digna que inspira imitação e respeito pelo filho a quem inicialmente se destina, mas que transparece à sua volta. No desenrolar da história, entre essas duas polaridades (África/Dinamarca), o conceito ético-moral é atemporal e universal e embora as realidades sejam absolutamente díspares, a opção pela não violência como a primeira ou a única escolha merece ser reavaliada e valorizada, essa é uma das grandes qualidades desse filme que, com sensibilidade e equilíbrio, colocando-nos frente a uma questão delicada, premente e atual.

O que você achou deste filme?

Para comentar faça seu login

O que outros comentaram...

Seja o primeiro a comentar este filme usando o formulário acima!

Entrar